Nossa História

Nem sempre a vida de um idoso é tão fácil quanto parece dentro de uma casa, e os problemas que surgem são vários, tais como:
 
 - Famílias ausentes, pois, todos trabalham, e o idoso não pode ficar sozinho, correndo o risco de se acidentar dentro de casa;
 - Necessidade de um cuidado mais técnico, e a família do idoso não têm condições para tal cuidado;
 - Ausência familiar – O idoso durante sua vida, não teve nenhum cônjuge ou perdeu o contato com todos da sua família e necessita de cuidados de outros;
 - O idoso têm problemas de alcoolismo dentro da família ou até mesmo de outros vícios, em que pode ser perigoso e desgastante o idoso lidar com esta situação em casa, principalmente com parentes mais próximos;
 - O próprio idoso deseja ficar próximo de pessoas da sua idade, tendo assim melhor qualidade de vida.
  
Ás vezes pensamos que um abrigo ou asilo como costumamos chamar, é um lugar que os idosos são abandonados por sua família, e não é isto que acontece no LAR EVANGÉLICO DE QUEIMADOS, antes de repetir o que a mídia ou outros falam, venha conhecer, venha ajudar, venha saber melhor o que é um abrigo de idosos que precisam estar aqui, conheças o LAR EVANGÉLICO DE QUEIMADOS.
 O Lar Evangélico de Queimados, criado pela UMEAS – União Missionária de Evangelização e Assistência Social, é uma Instituição que abriga idosos independente da cor, raça, ou credo religioso, acreditando que estas pessoas possam encontrar a salvação em Cristo Jesus através do testemunho dado dentro deste ambiente evangélico. Atualmente o Lar Evangélico possui 2 idosos internados, abaixo veremos mais números em proporção.                                                     
Internos: 23
- 07 homens e 15 mulheres;
- 08 usam cadeira de rodas;
- 13 deles precisam de cuidados especiais, pois não tomam banho e nem comem sozinhos.
 
Os idosos recebem tratamento médico adequado e atividades de inclusão social.  O Lar Evangélico é sustentado através de ofertas voluntárias de Igrejas ou particulares, que pelo amor nesta obra tem nos ajudado em todos estes anos, quem sabe você que está lendo estas palavras não queira também ser um colaborador, um parceiro nosso que queira nos ajudar com aquilo que propuser em seu coração a contribuir. Caso tenha vontade clique no link “Seja um parceiro do Lar Evangélico de Queimados” e veja como você pode contribuir. Veja abaixo a história completa desta Instituição.
 
Lar Evangélico de Queimados 
“ASSOCIAÇÃO EVANGÉLICA DE PROTEÇÃO E AMPARO A VELHOS E ÔRFÃOS (AEPAVO) 
- LAR EVANGÉLICO DE QUEIMADOS”: 
(28/05/1960)  
As primeiras articulações para a criação da “ASSOCIAÇÃO EVANGÉLICA DE PROTEÇÃO E AMPARA A VELHOS E ÓRFÃOS -(AEPAVO)”, que posteriormente passou a ser chamada de “LAR EVANGELICO DE QUEIMADOS” surgiram em “novembro” de 1959, através da irmã Noemia Mendes Gomes, que depois de ganhar o apoio de seu esposo, irmão Antonio Gomes, em seguida ela convidou outros irmãos a participarem de um novo encontro em sua casa; e lá estiveram os irmãos Antonio Cordeiro, Amilcar Rodrigues Mendes e sua esposa, irmã Orofina de Oliveira Mendes, também participaram dessas primeiras articulações os irmãos Mário Argolo Ferrão e sua esposa, Nair Ferrão. A partir daí que a irmã Noemia Mendes Gomes, procurou buscar apoio da Igreja em Mesquita, da qual ela era membro, onde em assembléia realizada no início de “novembro de 1959,  solicitou autorização para dirigir-se ao Prefeito de Nova Iguaçu, com a finalidade de pedir um terreno onde deveria construir um abrigo a fim de atender os nossos idosos..
 Desde então, começaram a serem aglutinados irmãos de outras igrejas, que viessem a se interessar por essa sugestão. Foi então, que se passou a contar com a participação de irmãos de Turiaçu, Barreira do Vasco, Olaria, Nilópolis, e outros que foram convidados para a primeira reunião que se realizou no dia 28 de maio de 1960, na Casa de Oração da Igreja que reúne na Av. União, 1089 em Mesquita. Nessa reunião nada foi decidido, apenas ficando agendado uma nova reunião para o dia 26 de junho do mesmo ano. 
Nessa segunda oportunidade, foi eleita provisoriamente uma Diretoria, que ficou assim constituída: Presidente, irmão Antonio Gomes (Igreja em Mesquita), Vice Presidente, irmão Augusto Alves de Oliveira (Igreja em Turiaçu), 1º Secretário, irmão Geraldo Batista da Costa (Igreja em Turiaçu, 2º Secretário, irmão Ademir Venâncio da Silva (Igreja em Barreira do Vasco), 1º Tesoureiro, irmão Antenor Fraga (Igreja em Mesquita), 2º Tesoureiro, irmão Amilcar Rodrigues Mendes (Igreja em Mesquita), e para Secretário Correspondente, irmão Laerte Salvador (Igreja em Olaria). Também, foi considerado necessário a inclusão de uma irmã como Diretora de Ação Social. E como não poderia deixar de ser, foi apresentado e aceito por unanimidade o nome da irmã Noemia Mendes Gomes (Igreja em Mesquita). Ainda, ficando agendado outra reunião para o dia 06/08/60, que não se realizou por falta de “quorum”. 
Entretanto, outra reunião foi agendada para o dia 20/08/60. Nessa quarta reunião, o grupo de interessados na obra havia crescido bastante, tanto que, a Diretoria foi reestruturada, com substituição ou troca de alguns nomes, e também foram escolhidos quinze irmãos, formando assim um grupo que se chamou de “Conselho Deliberativo”. 
Em face da modificação que sofreu a diretoria, conforme mencionado acima, o irmão Augusto Alves de Oliveira foi conduzido à presidência do grupo que trabalhava na preparação do “projeto” de construção do tão esperado “abrigo para os idosos”, permanecendo neste cargo, sempre por vontade das assembléias subseqüentes, até ser substituído pelo irmão Dr. Newton Ximenes, em julho de 1966. 
Até então, estavam tratando de um projeto para construção de um abrigo para o recolhimento de pessoas idosas, levando em consideração, aqueles idosos que seus familiares não tivessem condições de lhes darem um cuidado digno para a continuação dos seus dias. Seguindo esse propósito, veio surgir nas reuniões subseqüentes a “ASSOCIAÇÃO EVANGÉLICA DE PROTEÇÃO E AMPARO A VELHOS E ÓRFÃOS -  AEPAVO”, essa titularidade permaneceu até "outubro” de 1967, quando para evitar qualquer possibilidade de gerar direitos associativos, passou a se intitular “ABRIGO EVANGÉLICO DE PROTEÇÃO E AUXILIO A VELHOS E ÓRFÃOS”, permanecendo a mesma “sigla”, esse título durou até a fusão desta entidade com a “UMEAS”em Agosto 1972.
  
Quanto ao local ideal para a construção do tão esperado abrigo,  foram apresentado algumas sugestões, surgindo inclusive um oferecimento por parte da Prefeitura de Nova Iguaçu.  
Com as orações incessantes dos irmãos, abriu-se uma outra porta, quando houve um oferecimento de uma área, no distrito de Queimados, pelo irmão José Maria Soares Mateus, e que foi aceito com alegria pelso irmãos. 
A partir de então, várias campanhas e providências foram tomadas pelos irmãos, com a finalidade de transformar aquilo que até então era apenas um projeto, em realidade. Assim sendo, no dia 1º de maio de 1963 foi lançado a “pedra fundamental” para a construção do tão esperado lugar de repouso para os nossos irmãos idosos. 
Todavia, tanto as igrejas que estiveram envolvidas na construção desse projeto como os internos que viveram ou viverão, bem como os seus familiares, poderiam se juntar a nós com a finalidade de externar a nossa infindável gratidão por essa doação, aos estimados irmãos "Mateus e filhos”, e render os nossos louvores ao Senhor pela existência e preservação dessa família. 
No dia de maio de 1964, as igrejas foram convidadas a conhecerem o local escolhido, houve um grande número de irmãos dispostos a se unirem para dar continuidade ao “projeto”, o número de ônibus especiais era bem expressivo no local, também havia um movimento bem grande de “barracas” montadas por diversas igrejas locais, onde eram expostos produtos variáveis, que eram transformados em dinheiro, e que era revertido em benefício das construções que deveriam ser erguidas naquele local. Daí por diante, o dia 1º de maio e o dia 15 de novembro, passaram a serem datas sempre lembradas para o encontro dos irmãos em Queimados.
 
Vindo então a construção do primeiro pavimento, e em seguida a inauguração com os primeiros internos no dia 1º de maio de 1967, quando um esplendoroso encontro das igrejas que continuavam contribuindo com montagem de barracas, e que apresentavam uma variedade de especiarias de refinado bom gosto, podendo constatar a existência desde churrascarias, restaurantes até os costumeiros doces e salgadinhos encontrados em festas familiares. Todos esses produtos eram transformados em dinheiro que era revertido em benefício da construção do abrigo, a título de oferta por cada igreja que os produziam.
 
3
 
 

Muitos irmãos deixaram naquela construção  o seu suor que  perderam na escavação; muitas vezes deixando os seus familiares nas primeiras horas das manhãs dos sábados, e até mesmo aos domingos e feriados, uns até vinham acompanhados de alguns familiares. Mas, sempre demonstravam espontaneidade e muito gozo por estarem ali participando daquele mutirão. Quantos se feriram, sem gravidade, nada que não pudesse ser resolvido sem a presença de um médico.  Muitas vezes, para chegar até aquele local os veículos dos irmãos Domingos Manoel Tavares Silva, Uziel Teixeira de Mattos e outros irmãos, ficavam atolados na estrada, enquanto os seus ocupantes se viam no dever de desembarcarem e providenciar a retirada dos veículos do atoleiro por meios próprios. Porém, o Senhor que fortalecia a todos nessa empreitada, permitiu que chegássemos até o estágio presente. Aqueles que não estão mais entre nós, certamente os galardões os aguardam para aquele dia que o Senhor mesmo há de estabelecer. (II Tm. 4. 7,8).

Em abril de 1971, houve uma sugestão para a troca do nome Abrigo, para “Lar Evangélico”, por ser esse um nome mais aconchegante, e também, o mais adequado com o tratamento oferecido aos irmãos internos, porém, a sigla “AEPAVO”, só deixou de existir por ocasião da fusão do “Lar Evangélico” com União Missionária de Evangelização e Assistência Social -  UMEAS”, que ocorreu em agosto de 1972, a partir daí, o Abrigo passou a ser chamado de "Lar Evangélico de Queimados" ou simplesmente - LEQ por estar localizado na cidade de Queimados - RJ. E a partir de então a UMEAS passou a administrar o Lar Evangélico e o que já era de sua competência, isto é, o apoio aos missionários, procurando dar lhes a tranquilidade necessária, a fim de que os mesmos exerçam o ministério para o qual o Senhor os chamou.

Nesses mais de 45 anos de funcionamento do “LEQ”, vários foram os irmãos que passaram pela sua administração, entre os quais destacamos os irmãos Agenor Ferreira da Silva (outro que também, prestou excelentes serviços durante todo o período do planejamento e da construção do LEQ), e o casal Uziel Teixeira de Mattos e Ednete Luiza da Silva Mattos. Atualmente os administradores são o casal de missionários Antonio Florentino e Terezinha que contam com a ajuda de seus filhos Márcio e Adolfo, os mesmos estão nesse ministério há 27 anos.

Finalmente, ao nosso Deus e Pai, e ao nosso Salvador e Senhor, Jesus Cristo, sejam dada toda honra e toda glória, agora e por toda a eternidade. Amém

2 

 

Idosos do Lar Evangélico de Queimados – 1992

 

 

 

 
1

 

 

 À esquerda Dr. Newton Ximenes - atual Presidente da UMEAS